Nos últimos meses, centenas de imigrantes africanos morreram no Mediterrâneo tentando chegar à Europa. Principalmente, à Itália. Mas por que essas pessoas estão fugindo de suas casas e de seus países? Foi a Europa quem os expulsaram de casa? Imagine se de repente acontecesse uma tragédia no seu bairro e todos os seus vizinhos batessem à porta de sua casa… Será que você conseguiria abrigá-los todos de uma vez? Será que se os Estados Unidos abrissem suas fronteiras para todos os mexicanos que quisessem entrar naquele país, teriam eles condições de acomodá-los? O Brasil, por exemplo, já sofre com o elevado número de haitianos que todos os dias chegam… Então, o Brasil, a Europa e os Estados Unidos devem invadir a África e libertá-los das guerras, da miséria, e dos seus ditadores ordinários que são, muitas vezes, defendidos por outros governos, inclusive pelo nosso? Sim, o mundo não pode assistir impassível à morte de tanta gente. Havemos de fazer algo. Temos humanidade. Mas não podemos apenas repetir o que dizem alguns ‘especialistas’, que creditam tudo ao fato de serem africanos, consequentemente pobres, pretos. Duvido que eles abrigassem em suas casas algumas daquelas pessoas que estão perdidas no mar!

Não quero de forma alguma ser indiferente e insensível ao que está acontecendo, só não concordo com essa pieguice poética de retratar os fatos. São bem mais complexos do que a simples visão da Europa “riquinha e branca” contra a África “pobrinha e preta”. Entendo que essa tragédia de agora é igual àquela da escravidão, onde todos são culpados, menos os africanos.

Infelizmente não há solução imediata. Os países são soberanos e precisam resolver suas guerras, seus problemas, suas misérias, sob pena de assistirmos boquiabertos e impotentes a morte de milhares e milhares de pessoas inocentes, que, sequer, têm ideia de para onde estão indo. Na maioria das vezes, estão indo à morte. Já não há horizontes. A Europa está além dos seus sonhos; a África, aquém de suas vontades.

Anúncios